30
Mai

ADRAT vai apresentar proposta de classificação do Barroso como território GIAHS/FAO

O GIAHS (Globally Important Agricultural Heritage Systems) é um programa da FAO (Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura), que classifica territórios mundialmente relevantes em matéria de sistemas agro-culturais, promovendo a salvaguarda do seu património e a conservação dinâmica das suas práticas e paisagens agrárias. Nesse sentido, a ADRAT tem vindo a preparar o processo de candidatura do território do Barroso, com vista ao seu reconhecimento como GIAHS. Esta candidatura, que tem vindo a envolver ao longo dos últimos meses, várias entidades locais, regionais e nacionais, será brevemente concluída com a apresentação do dossier à FAO, num processo conjunto entre a ADRAT e o Ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural. Em consequência desta iniciativa da ADRAT e do Governo português, que será a primeira do género em toda a Europa, a ADRAT foi convidada a participar no workshop internacional da FAO, sobre o GIAHS para a Europa e Ásia Central, em Roma, nos dias 29 e 30 de Maio, no qual fará uma apresentação formal do Barroso como potencial sítio GIAHS em Portugal.

Consulte aqui a documentação provisória:


 

17
Jan

Marca Entidade Empregadora Inclusiva – Candidaturas

As candidaturas para atribuição da Marca Entidade Empregadora Inclusiva às empresas e demais entidades empregadoras que desenvolvam práticas de gestão aberta e inclusiva e tenham a responsabilidade social como uma das suas marcas distintivas, estão abertas desde o dia 2 de janeiro e até 28 de fevereiro.

A Marca Entidade Empregadora Inclusiva destina-se a promover o reconhecimento e a distinção pública de entidades empregadoras que mereçam destaque nas ações desenvolvidas relativamente às pessoas com deficiência e incapacidade, contribuindo para a criação de um mercado de trabalho inclusivo que integre a diferença, evidenciando também preocupações de ordem social, um dos aspetos distintivos da responsabilidade social.

A responsabilidade social, de uma perspetiva estratégica, é cada vez mais importante para a competitividade das empresas pelos benefícios que pode acarretar em matéria de gestão dos riscos, redução dos custos, acesso ao capital, relações com os clientes, gestão dos recursos humanos e capacidade de inovação (comunicação da comissão Europeia ao parlamento europeu, ao conselho, ao comité económico e social europeu e ao comité das regiões de 25.10.2011).

As limitações na acessibilidade física, aos transportes, aos serviços e à comunicação, em resultado das condições do meio, têm limitado e dificultado a participação das pessoas com deficiência no mercado de trabalho que apresentam uma taxa de emprego significativamente inferior à população em geral.

A alteração desta situação passa, também, pela existência de um ambiente acessível em termos físicos, mas também de comunicação, e pela valorização e disseminação das práticas de gestão empresarial que valorizem e integrem a diferença, criando e desenvolvendo um mercado de trabalho aberto e inclusivo.

O reconhecimento das organizações que pratiquem e implementem práticas de gestão aberta e inclusiva, através da atribuição de uma marca denominada “marca entidade empregadora inclusiva”, poderá criar condições de maior igualdade no acesso, manutenção e progressão na carreira das pessoas com deficiência e incapacidade.

Se é uma organização cuja gestão integra também preocupações no domínio da responsabilidade Social e a igualdade de oportunidades, CANDIDATE-SE.

O regulamento poderá ser obtido em https://dre.pt/application/file/69906402 e as candidaturas deverão ser formalizadas no NETemprego em https://www.netemprego.gov.pt/IEFP/apoios.jsp para o que deverão proceder ao registo, se ainda não estiverem registados, ou, acederem através da vossa página se estiverem registadas.

Pode consultar aqui o desdobrável com informação mais detalhada sobre a Marca Entidade Empregadora Inclusiva;