4
Jun

ADRAT convidada para o Workshop GIAHS para a Europa e Ásia Central, Roma

29 May 2017, Rome, Italy – The Globally Important Agricultural Heritage Systems (GIAHS) European Workshop: Ideas and Experience-Sharing on GIAHS in Europe and Central Asia, FAO headquarters (Iraq Room).
Photo credit must be given: ©FAO/Cristiano Minichiello. Editorial use only. Copyright ©FAO.

A ADRAT participou no passado dia 29 de maio, no Workshop da FAO dedicado ao Programa GIAHS para a Europa e Ásia Central, tendo sido uma das 5 entidades convidadas a apresentar um sítio potencial para obter a classificação GIAHS, no caso o território do Barroso. Este workshop internacional teve a participação de cerca de 100 pessoas, desde delegados governamentais, representações permanentes junto da FAO, investigadores e cientistas, professores universitários até às associações profissionais e ONG, oriundas de 36 países (incluindo delegações convidadas de países da América Latina). Para consultar mais detalhes do programa realizado, podem aceder à página seguinte: http://www.fao.org/giahs/news/detail-events/en/c/885956/

2
Jun

Programa de Sistemas Agrícolas Tradicionais de Relevância Global

30/05/2017  Lisboa –

Com o objetivo de preservar sistemas agrícolas marcados pela harmoniosa interação entre comunidades tradicionais e o meio ambiente, em 2002, a FAO lançou a iniciativa de uma Parceria Global para a conservação e gestão de Sistemas Agrícolas Tradicionais de Relevância Global (SATRG), em inglês Globally Important Agricultural Heritage Systems (GIAHS).

A Parceria evoluiu para um Programa que pretende promover a consciencialização e o reconhecimento nacional e internacional dos sistemas de património agrícola, alertando para a importância de proteger os bens e serviços sociais, culturais, económicos e ambientais que estes fornecem aos agricultores familiares, aos povos indígenas e às comunidades locais, promovendo uma abordagem integrada que combina agricultura sustentável e desenvolvimento rural.

A agroecologia é um tema central para o Programa, visto que os sistemas identificados como patrimônio agrícola utilizam técnicas tradicionais e práticas localmente adaptadas à biodiversidade. Por essa razão, iniciativas GIAHS enquadram-se e contribuem para uma agenda para a agroecologia. Este é um tema de destaque na Declaração de Díli resultante da última reunião do Conselho de Segurança Alimentar e Nutricional CPLP (CONSAN-CPLP).

A Sociedade Civil, com o apoio dos governos e da FAO, em vários países da CPLP está a desenvolver seus processos nacionais de candidaturas para o Programa GIAHS. A elaboração das candidaturas têm como base um processo participativo que envolve governos, universidades e representantes das comunidades locais.

Portugal está prestes a formalizar a candidatura da Região do Barroso. A região localizada no Norte de Portugal é caracterizada por uma agricultura tradicional ligada a uma forte identidade cultural de sistemas comunitários de cultivo e de criação de gado, A elaboração da candidatura conta com a liderança de uma Organização da Sociedade Civil, a Associação de Desenvolvimento do Alto Tâmega (ADRAT) e a participação/apoio de várias entidades.

No Brasil, a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA) e o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) têm um acordo de cooperação técnica para conduzir o processo participativo e estão a entrevistar líderes comunitários e pesquisadores ligados aos Sistemas Agrícolas do Arquipélago do Bailique (Amapá), dos Apanhadores de Flores da Serra do Espinhaço (Minas Gerais), dos Pantaneiros (Mato Grosso do Sul) e dos Quilombolas do Vale do Ribeira (São Paulo). Pelo menos uma candidatura vai ser apoiada em 2017. De acordo com Patrícia Goulart, integrante da equipe que conduz o processo brasileiro, o reconhecimento concedido pelo Programa fortalece as comunidades tradicionais, reforçando a soberania alimentar, a auto- estima e a inclusão da juventude.

Na CPLP, serão ainda potenciais candidatos, em Cabo Verde, a Ilha de Santo Antão (região de rica biodiversidade e terraços agrícolas em solo vulcânico, atualmente ameaçados) e, em Angola, o Sistema de Transumância (sistemas de produção agropastoris existentes no Sul do país). Na Guiné Bissau, considera-se os Sistemas de Produção de Arroz e Piscicultura em Região de Mangal.

O escritório da FAO em Portugal e na CPLP continuará a apoiar esta iniciativa multi-país e procura preparar a participação de representantes dos países da CPLP numa oficina sobre reconhecimento dos territórios tradicionais durante o VI Congresso Latino Americano de Agroecologia, que se realizará de 12 a 17 de Setembro, em Brasília.

 

Fonte : http://www.fao.org/portugal/noticias/detail/pt/c/889849/

30
Mai

ADRAT vai apresentar proposta de classificação do Barroso como território GIAHS/FAO

O GIAHS (Globally Important Agricultural Heritage Systems) é um programa da FAO (Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura), que classifica territórios mundialmente relevantes em matéria de sistemas agro-culturais, promovendo a salvaguarda do seu património e a conservação dinâmica das suas práticas e paisagens agrárias. Nesse sentido, a ADRAT tem vindo a preparar o processo de candidatura do território do Barroso, com vista ao seu reconhecimento como GIAHS. Esta candidatura, que tem vindo a envolver ao longo dos últimos meses, várias entidades locais, regionais e nacionais, será brevemente concluída com a apresentação do dossier à FAO, num processo conjunto entre a ADRAT e o Ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural. Em consequência desta iniciativa da ADRAT e do Governo português, que será a primeira do género em toda a Europa, a ADRAT foi convidada a participar no workshop internacional da FAO, sobre o GIAHS para a Europa e Ásia Central, em Roma, nos dias 29 e 30 de Maio, no qual fará uma apresentação formal do Barroso como potencial sítio GIAHS em Portugal.

Consulte aqui a documentação provisória: